Minha matéria-prima é o tempo!

Era uma vez…

Um navio que atravessava o oceano carregado de ouro e, de repente, o motor enguiçou. Esgotadas as tentativas dos tripulantes de arrumarem o defeito sem sucesso, o comandante mandou chamar o melhor técnico do porto mais próximo.

O técnico avaliou o navio e passou um orçamento de R$100 que foi prontamente aprovado. O técnico trabalhou durante uma semana tentando encontrar o erro, mas sem sucesso.
Um engenheiro naval foi chamado e passou um orçamento de R$1000 que também foi prontamente aprovado, e depois de 3 dias inteiros trabalhando o navio continuava quebrado.

A empresa proprietária do navio mandou buscar o maior especialista naquele tipo de motor.

Chegando ao navio e após uma breve inspeção, o especialista passou o orçamento de $10 mil. O comandante achou caro, mas como não havia alternativa aprovou o orçamento.
O especialista chegou, olhou atentamente a máquina, escutou o barulho do motor, inspecionou algumas válvulas e, após 15 minutos, tirou um pequeno martelo da mala de ferramentas e bateu algumas vezes em uma válvula.
Como num passe de mágica o navio voltou a funcionar!

Fechando com calma a mala de ferramentas, o especialista passou na cabine do comandante para cobrar pelo serviço. O comandante reclamou: “Poxa vida, mas você deu apenas uma martelada e vai me cobrar tudo isso?”.
O especialista pegou uma folha de papel e escreveu:

• Martelada = R$0,50
• Saber onde dar a martelada = R$9.999,50

Moral 1: Tem gente investindo mais em martelo do que em saber onde dar a martelada;
Moral 2: Tem gente que foca mais no preço do que no conserto do navio;
Moral 3: O tempo é uma matéria-prima preciosa.

Deixe um comentário